Androblastoma, tumor nos ovários que masculiniza a quem sofre

A queda de cabelo na mulher pode dever-se ao crescimento de um tumor no aparelho reprodutor, o qual segrega a hormona masculina chamada testosterona, que também produzirá engrossamento da voz e crescimento de pêlos; você pode fazer algo a respeito?

  • Tumor
  • Câncer, produção de células anormais

o Nosso corpo é composto por diversos tipos de células, que normalmente crescem e se dividem para produzir novas em forma controlada e ordenada; as velhas morrerão como parte de um processo natural. No entanto, algumas vezes novas células continuam a ocorrer, embora não sejam necessários, resultando na formação de uma massa de excesso de tecido, a qual é identificada como tumor, sendo benigno ou maligno (canceroso).

Agora, os tumores malignos as células não são normais e se dividem sem ordem e sem controle, podendo chegar a invadir e danificar os tecidos próximos e se espalhar para outras partes do corpo, o que clinicamente é chamado de metástase.

Diante da suspeita de células cancerosas, o médico toma uma amostra de tecido, procedimento que é chamado de biópsia— para análise no microscópio. O especialista médico responsável por essa ação é o patologista, que também pode determinar as características das células do tumor e o grau do mesmo, ou seja, a gravidade, de acordo com quatro graus de classificação; isto quer dizer que as células de tumores de grau 1 parecem normais, o seu comportamento é pouco agressivo, e tendem a crescer e a multiplicar-se lentamente; em ambas, as de tumores de grau 3 ou 4 reproduzem-se e disseminam-se com maior rapidez.

O explicado até este momento é uma forma muito simples de entender o processo bioquímico de análise para determinar o grau de um tumor, que na realidade é muito complexo e no qual se empregam fatores (compostos químicos) específicas, de acordo com o tipo de cancro e a sua localização.

Como podemos supor, conhecer o grau do tumor, assim como a fase ou estádio do câncer, servirão para o médico oncologista para preparar um plano individual de tratamento para o paciente e para predizer o prognóstico, em outras palavras, o curso da doença e a possibilidade de recuperação e/ou de recorrência. Assim, um grau baixo indica um melhor augúrio, e vice-versa em um grau oposto.

Tumores ováricos

O até aqui exposto servirá para explicar que em qualquer lugar do nosso corpo pode desenvolver um tumor e chegar a ser maligno. Particularmente, os que crescem nos ovários —tema que nos ocupa nesta ocasião— são identificados pela Medicina, como de risco médio, já que entre 30% e 50% dos casos desenvolverão câncer.

Agora, a ciência classifica os tumores nos ovários de acordo com a localização e características das células, sendo alguns deles capazes de influenciar as características sexuais da pessoa afetada devido a que produzem hormônios deste tipo, podendo ser feminizantes ou masculinizantes (androblastomas).

Estes últimos, conhecidos também como arrenoblastomas, são produtores de células de Sertoli, as quais originalmente se localizam nos testículos e fornecem nutrientes para os espermatozóides; além disso, geram células de Leydig, as mesmas que originam a hormona sexual masculina chamada testosterona; cabe mencionar que alguns tipos de câncer testicular se iniciam as referidas células.

Então, o que acontece com a mulher quando seu organismo segrega hormonas sexuais masculinas? A resposta é que se viriliza, ou seja, desenvolver características físicas masculinas, como:

  • Calvície ou perda de cabelo.
  • Aumento do tamanho do clitóris e lábios.
  • Crescimento do pêlo facial e corporal (hirsutismo).
  • Voz mais grave.

Apesar de que se trata de eventos muito raros (apenas 1% do total de tumores ovarianos), androblastomas é um enigma e de grande interesse para os pesquisadores. O certo é que têm baixo potencial maligno e ocorrem em jovens com média de idade de 25 anos, mesmo se conhecem casos em mulheres na pós-menopausa; as meninas em idade reprodutiva tendem a sofrer desconforto e/ou ver alterada sua menstruação.

Fisicamente são sólidos, de cor cinzento-amarelada, medindo entre 5 e 15 cm de diâmetro (tamanho, que pode afectar a fertilidade da causa), e é diagnosticada através de ultra-som dos ovários ou por exame patológico (biópsia). Por sua parte, o exame de sangue para verificar os níveis de hormônios que podem ter sido formados pelo tumor.

Uma vez confirmado o arrenoblastoma, a primeira opção é retirar o tumor por cirurgia e, em caso de que se trate de células cancerígenas que se tenham disseminado, deve-se considerar para eliminá-los, radioterapia (radiação) e quimioterapia (medicamentos desenvolvidos para esse fim). Felizmente, estamos a falar de muito pouca possibilidade de metástase, e de uma taxa de cura muito boa.

Finalmente, devemos destacar que, devido a que são causa também de aumento de volume do ovário, alguns setores da Medicina reconhecem como pseudotumores a cistos (saco ou pequena bolsa cheia de líquido —não é raro que haja mais de um) e miomas (também chamados de miomas, que são aglomerados de tecido muscular e/ou fibras de colagénio). A principal diferença reside no fato de que estes fazem referência a processos benignos.

DATO CURIOSO…

A probabilidade de que um passageiro com gripe infecte as pessoas que sentam ao seu lado em um avião supera o 80%, de acordo com pesquisadores.

CINCO POR TU SALUD

Autismo: causas e diagnóstico

Férias: perigoso bronzeado

Cérebro humano: estrutura e funções

Tópicos Relacionados

  • Menopausia, uma parte do climatério
  • Toallas femeninas
  • Menstruación

Acidentes em casa, mais frequentes em época de férias

Category: Sem categoria