Detectam o câncer de ovário com uma análise ao sangue

A nova técnica baseia-se na análise das variações no sangue da proteína CA125

Uma nova técnica de diagnóstico experimental, baseada nas variações da quantidade de uma proteína que se podem observar através de sucessivos análise de sangue, consegue detectar 86% dos casos de câncer de ovário epitelial –o mais freqüente–, de acordo com os resultados de um estudo realizado por cientistas do University College London, e publicado em Journal of Clinical Oncology.

Uma prova de confiança que detecta precocemente o câncer de ovário permitiria reduzir a taxa de mortalidade tão alta que tem este tipo de tumor, quando é diagnosticado em um estágio avançado

Os pesquisadores têm aperfeiçoado a uma prova que já havia usado anteriormente e que se centrou na detecção da proteína CA125 (associada a este tipo de câncer no sangue, mas não era determinante, já que, muitas vezes, encontrava-se que mulheres com uma quantidade de CA125 superior ao nível de referência não desenvolviam o tumor, enquanto que outras com quantidades inferiores sim estavam afetadas pela doença.

O novo método usa um algoritmo para medição de variáveis como a idade, as mulheres, os níveis originais de CA125 e a sua evolução em análise de sangue sucessivos, e, posteriormente, compara o padrão obtido com os resultados de pacientes com câncer de ovário e um grupo controle para calcular o risco de desenvolver o tumor.

Os resultados deste trabalho fazem parte do UK Collaborative Trial of Ovarian Cancer Screening (UKCTOCS), em que participam mais de 200.000 mulheres, e cujo objetivo é encontrar uma prova de confiança que permita detectar precocemente este tipo de câncer e reduzir a taxa de mortalidade tão alta que tem quando é diagnosticado em um estágio avançado, algo que acontece em 70-80% dos casos, segundo dados da Sociedade Espanhola de Oncologia Médica (SEOM).

Category: Sem categoria