A alergia aos ácaros afeta 80% das crianças na costa

A exposição contínua aos ácaros provoca a inflamação dos brônquios, das crianças, e os torna mais sensíveis a outro tipo de alergias e infecções.

Entre 70% e 80% dos crianças que residem em zonas costeiras sofre alergia os ácaros, cerca de microrganismos que proliferam quando a temperatura é de cerca de 21 ° C e umidade de 70%, cerca de condições ambientais que se costuma dar à beira mar na primavera e no outono, em comunidades como a Catalunha ou Canárias, como explicou a Dra Ana Maria Praça, presidente da Sociedade Portuguesa de Imunologia Clínica, Alergologia e Asma Pediátrica (SEICAP), no âmbito de sua XXXIX Congresso, realizado em Alicante.

O clima da costa é favorável para os ácaros, que habitam o interior de residências, em locais afastados da luz solar, por isso que as crianças são expostos a eles diariamente e isso, de acordo com a Dra Praça, provoca uma inflamação dos brônquios que lhes torna mais sensíveis a outro tipo de alergias ou infecções que podem causar sintomas mais agudos. Além disso, no caso de que exalam grande quantidade de ácaros de uma vez, podem sofrer de um ataque agudo de asma ou rinoconjuntivite.

É necessário que o diagnóstico seja preciso para prescrever imunoterapia específica contra as espécies de ácaros em que a criança tenha alergia

Para diagnosticar a alergia aos ácaros se realizam teste in vivo e in vitro. Se o paciente dá positivo, o tratamento baseia-se em evitar os alérgenos, provenientes do pó, seguindo, para tal, uma série de diretrizes de limpeza como usar aspirador com filtro de água e espanador para remover o pó de forma eficaz, e que na casa –principalmente no quarto da criança– não tenha muitos objetos, e que estes sejam fáceis de limpar.

O ideal é que as estadias são luminosos e arejados, e que a casa não tenha tapetes ou alcatifas. Também não se devem usar umidificador no quarto do menor, e você tem que substituir os bonecos de pelúcia por outros de plástico que se possam lavar com água.

Existem diferentes tipos de ácaros, por isso o diagnóstico deve ser preciso para que se possa prescrever imunoterapia específica de frente para as espécies em que a criança tenha alergia. E é que, dependendo das características do paciente e do tipo de alergia, o especialista pode considerar indicado o tratamento com vacina, que pode reduzir os sintomas em um prazo de quatro meses a um ano.

Fonte: Sociedade Portuguesa de Imunologia Clínica, Alergologia e Asma Pediátrica (SEICAP)

Category: Sem categoria